Terça, Dezembro 18, 2018

O que vem a levar as pessoas...

O que vem a levar as pessoas não terem mais amor?
Não pensarem com mais amor?
Não agirem com mais amor?
Hoje na sala da Rede Feminina atendemos muitos pacientes...

Cada um com sua experiência de vida, com seu jeito de pensar em relação a doença, com seu jeito de agir em relação ao próximo e sobre suas expectativas de vida.

Porém, em umas dessas pessoas uma nos chamou muito atenção. Uma senhora, com voz de criança e com olhar de quem já viveu muitas coisas na vida, infelizmente mais coisas ruins do que boas. Brincamos muito com ela, sorrimos, fizemos piadas das palhaçadas que as voluntárias fazem na sala, mas nada escondia o que realmente aquela mulher vivia e o que ela foi fazer ali. Hoje realizamos o recadastramento de cesta, o primeiro dia desse recadastramento, já fizemos por volta de 50 fichas sem ter números de vagas pra aprovar.

Essa senhora muito debilitada não se locomovia direito, veio dos Recanto das Emas de ônibus, com ajuda das pessoas na rua, para fazer o recadastramento, não era nem pra ganhar a cesta.
Pelo caminho do Hospital enfermeiros, técnicos e próprios pacientes que à ajudaram ela chegar na sala da Rede Feminina, e lá fizemos sua ficha.
A paciente tem filhos, mas mora sozinha, não tem televisão, não tem muito entendimento do que anda acontecendo, vive um mundo seu... aparenta ter problemas psicológicos e estava sozinha, isso mesmo sozinha!
A paciente com Câncer de mama e metástase, inchada por conta da quimioterapia e nesse momento relatou que não estava gordinha pq estava comendo, e sim por causa do tratamento. Relatou ainda que fica internada sozinha, que tem uma casa própria sendo um lote dividido com o restante da família, mas vive só!
Uma de nossas voluntárias indagou:
" senhora vamos todas comer, vamos ser felizes!!!!!"
Ela com lágrimas nos olhos, voz de criança disse:
" Mas eu não sou feliz!"
Para um dia cheio de surpresas, uma de nossas doadoras de cesta básica entra na sala exatamente nesse momento, e chora, Chorar de compaixão ao ver o seu próximo tão judiado.
Nós, as voluntárias ficamos em choque por sentirmos que dávamos tão pouco frente a um problemas de verdade.
Mas nós demos a volta por cima, reagimos doamos uma cesta e conseguimos fazer ela sorrir, então ela chorou e desabafou, mais ainda. Em seguida, ah colocamos a dentro do carro e deixamos na parada, sentadinha com sua cesta ao lado.
Saímos com um olhar de muita, muita, muuuuita dor ao nos despedimos de um alguém que não tinha menor condição de entrar em um ônibus sozinha, carregar uma cesta sozinha e até pensar como seria a vida sozinha...
Mas ela nos disse: "Podem ir, obrigada! Aqui o pessoal da parada me ajuda."
Retornamos ao nosso caminho sem dar nenhuma palavra, pois estávamos nos sentindo um nada. Nesse momento estávamos nos perguntando:
O que somos?
Porque somos?
Até quando seremos tão desiguais?
Até quando não iremos acordar e dividirmos o que temos com os que não têm?
Pensamos também, que não queremos passar uma imagem de que você não pode ter. O que queremos de verdade é que sejamos cada dia mais HUMANOS;
Que sejamos SERES de verdade;
Que podemos fazer NESTA Terra que vivemos, a diferença;
Que não precisaremos julgar o que foi feito de errado, é o que foi lhe decidido errado. Apenas que fazemos da nossa divisão a felicidade de um alguém;
Vamos ser mais amores, vamos olhar para frente e entender que tem alguém passando por um problema, mesmo que ela esteja sorrindo. Então, que não sejamos ignorantes.
Vamos respeitar o nosso próximo!
Vamos fazer todos os dias algo que quiséssemos que fizessem conosco;
Que todos os dias Deus nós permita entender que é AQUI onde vivemos que precisamos fazer o nosso melhor;
Que cada dia a gente consiga entender que fazer é SER!
Essa será mais uma de nossas pacientes que iremos ajudar com todo amor, dedicação, atenção e com muito pouco, apenas aquilo que com certeza podemos fazer.
Seja você um voluntário amigo também!
Doe amor, enxugue lágrimas e provoque sorrisos...