Quinta, Junho 27, 2019

11 - EFEITOS COLATERAIS DA QUIMIOTERAPIA

A quimioterapia tem como principal objetivo eliminar as células cancerígenas que formam o tumor. Infelizmente, os medicamentos utilizados não são capazes de diferenciar as células malignas das células normais.
Por esse motivo, a quimioterapia atinge tanto as células que formam o tumor quanto às células sadias. O resultado disso é o aparecimento dos efeitos colaterais, que duram algumas semanas, vários meses, ou podem ser permanentes.

EFEITOS COLATERAIS NO CORPO

a. Extravasamento de drogas.
Como as drogas aplicadas são super fortes, não podem extravasar para local indevido, sob pena de destruir totalmente a região. Por esta razão, as drogas são preferencialmente ministradas por cateter.
O extravasamento da droga pode causar dano tecidual (no tecido) e funcional irreversíveis e permanentes (perda do movimento das mãos, por exemplo, decorrente da destruição dos tendões, se a aplicação da droga for nesta região). Observe o local da punção (da agulha) atentamente durante a quimioterapia. O extravasamento da medicação é um acidente grave – uma emergência oncológica. Chame o médico imediatamente.

b. Queda de Cabelo.
Se o seu cabelo começar a cair, corte-os bem curtos. A queda começa 2 ou 3 semanas após o início da quimio.
A queda total do cabelo pode levar mais ou menos uma semana.
Pode ocorrer em qualquer parte do corpo, como rosto, braços, pernas, axilas e região pubiana.
Proteja a sua cabeça usando chapéu, turbante ou um lenço.
Use sempre um bloqueador solar para proteger o couro cabeludo. O seu cabelo voltará a crescer de 2 a 3 meses após o término da quimio.
O cabelo poderá crescer diferente de como era antes, ser mais fino ou mais grosso, ou mais enrolado, ou de cor diferente.

c. Dores/mialgias.
A quimio pode provocar ardor, formigamento, lesões na boca, dor de cabeça, dores musculares, dor de estômago, dores em mãos e pés, dor ao caminhar, aumento da sensibilidade e cansaço. Para controlar a dor tome os medicamentos prescritos pelo seu médico na hora certa. Não pule o horário, mesmo que não sinta dor num determinado momento. Não deixe a dor ficar insuportável. Relaxe, para diminuir a tensão muscular, a ansiedade e a dor. Comunique a seu médico em caso de que existam mudanças nas características da dor que sente.

d. Pele e anexos/fotossensibilidade (sensibilidade à luz).
As mudanças na sua pele no local que tenha recebido radioterapia ou a quimio, como coceira, ressecamento, erupções cutâneas, descamação, sensibilidade ao sol, rash cutâneo (sentir a pele ficar vermelha e quente) ou urticária, geralmente melhoram após o término do tratamento. Entretanto, como o escurecimento da pele pode ser permanente, proteja sua pele do sol. Utilize um bloqueador com fator de proteção de pelo menos 30. Proteja também os lábios. Evite a luz solar direta, não se exponha entre as 9h e 15 horas. Ante reações alérgicas severas à quimioterapia, como dor, vermelhidão ou bolhas ou chiado no peito ao respirar, comunique a seu médico.
Ir para o topo
e. Mudanças nas unhas.
As unhas podem ficar fracas e escuras, frágeis, quebradiças e cair, principalmente por causa da Doxomicina – droga vermelha que causa a mudança das unhas. Trata-se de acontecimento normal, pois elas voltam a crescer. Evite infecção: use luvas para proteger as mãos se for lavar louça, limpar a casa ou trabalhar em jardinagem. Não use produtos irritantes. Evite machucar as cutículas.

f. Obesidade.
Em relação às mulheres, quanto maior a gordura corporal, maior o depósito de hormônios femininos no corpo, e maior a chance de câncer. Mantenha-se o mais magra possível.

g. Insônia.
Provocada pelo tratamento preparatório para a quimioterapia.

h. Mudanças no Sistema Nervoso.
A quimioterapia pode causar alguns problemas no Sistema Nervoso. Muitos destes problemas melhoram após o término do tratamento. No entanto, alguns problemas podem durar longos períodos ou até tornarem-se permanentes. Sintomas que podem aparecer são: formigamento, fraqueza e adormecimento nas mãos e nos pés; sensação de mais frio que de costume; sensação de perda do equilíbrio (tontura); dificuldades para pegar objetos ou abotoar a roupa; tremores; diminuição da audição; fadiga; confusão e problemas de memória; depressão. Evite cair: caminhe lentamente sempre se segurando no corrimão ao subir ou descer escadas, para não tropeçar. Se precisar, conte com a ajuda de uma bengala. Sempre use sapatos ou tênis com sola de borracha. Se a memória esta falhando, solicite que alguém próximo lhe ajude para não perder a hora de tomar a medicação, além de comunicar a seu médico se ocorrer este fato.

i. Alterações Sexuais.
Nas mulheres a quimio pode provocar alterações nos ovários, mudanças nos níveis hormonais, períodos menstruais irregulares ou ausentes e menopausa precoce/irreversível. A Paciente pode sentir ondas de calor, secura vaginal, aumento da secreção vaginal e prurido (coceira). Pode, ainda, ter falta de interesse sexual, sentir-se irritada, preocupada, tensa, deprimida ou cansada para ter relações sexuais.
Gravidez:
é muito importante não engravidar durante a quimio, já que os medicamentos utilizados podem afetar o desenvolvimento do feto, especialmente nos 3 primeiros meses. Peça a seu médico orientação sobre o melhor método anticoncepcional. Efeitos Colaterais no Sistema Digestivo

a. Boca e garganta.
Cuide de seus dentes. Antes de iniciar os tratamentos contra o câncer, procure um dentista, a fim de evitar qualquer infecção na boca.
A radioterapia e os medicamentos podem produzir sensibilidade ou feridas na boca e nas gengivas (afta), bem como dor na garganta. A mucosite se dá em qualquer parte úmida do tubo digestivo (TGI - trato gastrointestinal). Bochechar com bicarbonato e água ajuda, mas se aparecerem feridas ou sangramento na gengiva, procure logo o pronto-socorro. Certos alimentos irritam a boca, dificultando a mastigação e a deglutição. Você pode sentir alteração no sabor dos alimentos, porque a quimio altera as células da língua. Experimente alimentos fáceis de mastigar e engolir sucos, purês de frutas e de legumes, caldos e cremes, purê de batatas, banana, macarrão, pudins, gelatinas, ovos mexidos, mingau de aveia. Use canudinho para beber líquidos. Evite frutas cítricas e seus sucos (laranja, tangerina). Alimentos condimentados ou salgados, duros, ásperos ou secos, como legumes crus, granola, torradas, biscoito.

b. Náuseas e vômitos.
Náuseas e vômitos podem ocorrer antes, durante, após ou até dias após a quimio. Uma maneira de evitar os vômitos é evitando as náuseas. Se a náusea costuma aparecer durante o tratamento, evite comer uma horas antes da quimio ou da radioterapia. Espere pelo menos uma hora após a quimio para ingerir algum tipo de alimento ou bebida. Não ingira muito líquido antes, nem durante as refeições e não deite imediatamente após a refeição. Beba líquidos mornos e frescos e não consuma bebidas gasosas. Coma devagar, várias vezes ao dia, pequenas refeições. Em lugar de comer 3 grandes refeições, faça 5 ou 6 refeições pequenas. Descanse sentada durante 1 hora após as refeições.
Experimente: Mingau de aveia, torradas, biscoitos integrais, bolachas, alimentos frios, sucos de frutas, frutas em pedaços, água de coco, gelatinas e sorvetes de frutas, iogurte, raspadinha de gelo. Evite alimentos e bebidas fortes como café, cebola ou alho. Evite alimentos quentes, gordurosos, fritos, doces, condimentados, apimentados e com odores fortes . Evite a ingestão de líquidos junto às refeições, bebidas alcoólicas, café, chá mate e chá preto. O vômito pode seguir à náusea e ser provocado pelo tratamento, por odores de alimentos ou pela presença de gases no estômago. Com grande frequência, controlando-se a náusea evita-se o vômito. Contudo, o vômito é mais fácil de controlar que a náusea. Fale com o médico.

c. Perda de Apetite (Anorexia).
A perda ou a falta de apetite no início da quimio é comum. O aumento do apetite na semana subsequente é esperado, mas não é bom para o tratamento comer demais. Muitas coisas afetam o apetite, inclusive o mal-estar (náuseas e vômitos) e a depressão. Coma várias pequenas refeições ao longo do dia. Se as carnes vermelhas ficarem com gosto amargo, troque por frango, peixe, ovos etc. Experimente milk shake, iogurte com frutas, sorvete, vitaminas. Evite ficar sem se alimentar. Não dê a você qualquer razão para não comer.

d. Constipação (Prisão de Ventre).
A prisão de ventre é outro efeito da QT, mas que também pode ter outras causas, como medicações, alimentação incorreta e a ausência de exercício. As medidas de controle iniciam-se com a alimentação que deve ser rica em fibras. Diarréia e prisão de ventre são consequências de inflamação da mucosa. Inicialmente ocorre a constipação (prisão de ventre). Depois a diarréia. Se forem graves, procurar o médico. Experimente: beber de 8 a 10 copos de líquidos por dia (água, sucos e chás). Bater ameixa seca com iogurte e aveia. Frutas com laranja, mamão, abacaxi, mexerica, manga, pêra, ameixa, sempre que possível com casca e bagaço. Utilize 3-5 porções por dia. No almoço e jantar: saladas cruas, verduras refogadas, legumes, feijão, milho. Acrescentar cereais integrais no seu dia alimentar: arroz integral, pão integral, aveia, farelo de trigo, musli, granola. Evite: Preparações à base de maisena, molhos brancos e gratinados, bolos, farinha, fubá, pão branco, arroz branco, macarrão, tortas
Ir para o topo
e. Diarréia.
A diarréia pode surgir com o uso da quimio, ou estar relacionado à ansiedade, nervosismo, alimentação e outras medicações. A diarréia pode ocasionar desconforto e outros problemas, como a desidratação, e aumentar o risco de infecção. Diarréia e prisão de ventre são consequências de inflamação da mucosa. Inicialmente ocorre a constipação (prisão de ventre). Depois a diarréia. Se forem graves, procurar o médico. Experimente: Beber muito líquido. Hidrate-se bem com água, água de coco, sucos naturais. Comidas à base de maisena, purê de batata, mandioca, mandioquinha, arroz, macarrão e cará fazem bem. Prepare purês sem leite. Ingerir caldo de carne, fécula de batata, ovos cozidos. Evite: Frutas como: laranja mamão, manga, ameixa, mexerica, abacate. Saladas cruas, verduras refogadas, legumes, feijão, ervilha, milho. Leite e seus derivados (iogurte, coalhada, creme de leite). Alimentos integrais como: arroz integral, aveia, pão integral, farelos, sementes, gérmen de trigo. Picles, azeitona, e molhos com vegetais. Frutas secas amendoins, pipoca, coco. Frituras e alimentos gordurosos.

EFEITOS COLATERAIS NO SANGUE
a. Anemia.
O tratamento quimioterápico pode afetar às células do sangue como, por exemplo, os glóbulos vermelhos, os glóbulos brancos e as plaquetas. A anemia se apresenta quando os glóbulos vermelhos são afetados. São eles que conduzem o oxigênio pelo corpo. Assim, a anemia pode apresentar-se com sintomas variados que incluem: aumento do batimento cardíaco, falta de ar, fraqueza, tontura e fadiga. Em algumas circunstâncias quando a contagem de glóbulos vermelhos está muito baixa, alguns pacientes necessitam fazer uma transfusão sanguínea. Além disso, seu médico pode receitar que tome suplementos de ferro. Durma 8 horas todas as noites e, durante o dia, descanse uma ou duas vezes pelo menos durante 30 a 60 minutos. Limite suas atividades. Você deve realizar somente as atividades realmente importantes. Evite fazer muito esforço. Siga uma dieta balanceada escolhendo alimentos que contenham todas as calorias e proteínas que seu organismo necessita.

b. Osteopenia.
Previne-se a perda de massa óssea (osteopenia) com uma alimentação rica em cálcio, ingestão adequada de vitamina D e exercícios. O fumo e o álcool devem ser evitados.

c. Plaquetopenia.
As plaquetas coagulam o sangue, ajudando que uma ferida pare de sangrar. A quimioterapia inibe a produção de plaquetas, ocorrendo a plaquetopenia (baixa contagem de plaquetas) que pode provocar hematomas, sangramento de nariz ou boca ou aparecimento de pequenas manchas puntiformes e avermelhadas na pele. Em caso de sofrer um corte, pressione o local firmemente, esperando parar o sangramento. Sempre use sapatos ou um tipo de calçado que proteja seus pés.

d. Infecção/Leocopenia.
A quimioterapia faz com que o corpo não consiga produzir suficientes glóbulos brancos (leucócitos) que combatem as infecções. A pessoa fica sem defesa e as bactérias se proliferam. Mantenha-se afastada de pessoas doentes. Se estiver utilizando cateter ou sonda, verifique se não tem algum tipo de infeção. Se aparecer alguma secreção, vermelhidão, inchaço ou dor comunique seu médico. Contate seu médico com urgência em caso de febre, calafrio, ou sudorese. É importante que ele saiba exatamente se você teve algum desses sintomas.